Identificação de variantes do coronavírus também acontece na Bahia; entenda

Identificação de variantes do coronavírus também acontece na Bahia; entenda

A Fundação Oswaldo Cruz Bahia (Fiocruz) já tem feito o sequenciamento genômico de novas variantes do novo coronavírus. A rede genômica da Fiocruz é controlada pelo laboratório de vírus respiratório e sarampo do Rio de Janeiro, de acordo com o grupo de pesquisa.
“Existem outros pólos da Fiocruz, como a Fiocruz Bahia, Pernambuco, Amazonas, que vem atuando muito contra a variante P1 que vem sido relatada em outros lugares”, comentou o pesquisador em saúde pública no IGM/Fiocruz, Thiago Gräf.
O pesquisador explicou que a FioCruz tem uma rede de vigilância do Sars-Cov 2 no Brasil. “São vários laboratórios que têm feito o sequenciamento genômico. Temos o foco nos casos suspeitos de terem sido infectados com as novas variantes. Por exemplo, os pacientes de Manaus transferidos, os profissionais que tiveram contato e apresentaram sintomas. Também outros pacientes que tenham voltado de viagem”, completou.
Além das conhecidas cepas do Reino Unido, África do Sul e Manaus, mais uma cepa foi sequenciada e identificada pelo Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Moniz (Lacen) .Trata-se da linhagem peruana C.14, que foi introduzida no estado a partir de um viajante que aportou em Salvador de navio, em fevereiro (relembre aqui).

O QUE É SEQUENCIAMENTO GENÔMICO?

O sequenciamento genômico é uma técnica que permite identificar, na ordem correta, a sequência de nucleotídeos (moléculas presentes nas células) de uma molécula de DNA ou RNA, visando conhecer a informação genética contida nesta estrutura.
As metodologias responsáveis por isso fornecem, para cada uma das bases determinadas, uma informação referente a sua qualidade.

 

CATEGORIAS
Compartilhar